Privatização do estádio do Pacaembu é aprovada, com voto contrário do PSOL

31/08/2017 Câmara Municipal, Destaques, João Doria, Parlamentares, Sâmia Bomfim, Toninho Vespoli

O governo de João Doria à frente da Prefeitura de São Paulo conseguiu aprovar na última quarta-feira (30) em sessão da Câmara Municipal a privatização do estádio do Pacaembu (Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho). O projeto de lei 364/2017 foi aprovado em segunda votação com 42 votos favoráveis e apenas 12 votos contrários. A bancada do PSOL, composta pelos vereadores Toninho Vespoli e Sâmia Bomfim, votou contra o projeto de venda do patrimônio da cidade.

O projeto estava na pauta de votação desde a terça-feira, mas não conseguiu ser votado graças à obstrução da sessão realizada pelos partidos de oposição (entre eles o PSOL) e a falta de acordo entre os partidos da base do governo. O presidente da casa Milton Leite (DEM) então marcou OITO sessões para o dia seguinte, na tentativa de aprovar a qualquer custo o projeto.

A quarta-feira (30) amanheceu com 137 novas nomeações em cargos públicos no Diário Oficial da Cidade, em uma tentativa do governo Doria de agraciar vários de seus aliados políticos. Utilizando desta prática recorrente e espúria, a mesma que Michel Temer sempre utiliza para aprovar suas pautas no governo federal, a proposta conseguiu ser aprovada na noite do mesmo dia.

A privatização do complexo esportivo se dará por meio de concessão. Após Doria sancionar a lei, será aberto o processo de licitação por concorrência, prevista para novembro, segundo o cronograma da prefeitura. Atualmente, cinco projetos apresentados por consórcios passam por análise dos conselhos do patrimônio Condephaat (estadual) e Conpresp (municipal).