Luiza Erundina é a candidata do PSOL à presidência da Câmara dos Deputados

01/02/2017 Destaques, Luiza Erundina, Parlamentares, PSOL

Do PSOL Nacional

image_largeLuiza Erundina (SP) será a candidata do PSOL para a presidência da Câmara dos Deputados no biênio 2017-2018, que acontece nesta quinta-feira (02/02). A bancada do partido anunciou a decisão em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (01).

A candidatura de Erundina é em contraposição aos nomes de Michel Temer para o comando da Casa, como o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e Jovair Arantes (PTB/GO) – ambos notórios articuladores do golpe parlamentar de 2016 na Câmara.

Além disso, representa também a política clara de oposição ao governo no Congresso Nacional, contra a agenda de Temer e as reformas da Previdência e Trabalhista e pelo combate à corrupção que assola o governo e sua base parlamentar.

O novo líder do PSOL na Câmara, Glauber Braga, afirmou em coletiva de imprensa que a candidatura é resultado de um acúmulo da atuação da bancada ao longo dos anos, incluindo a luta pelo Fora Cunha e de resistência às medidas de Temer. “Temos acumulado ao longo dos anos candidaturas que representaram um projeto que tem o objetivo principalmente de dialogar com a sociedade brasileira por reformas estruturais do sistema político brasileiro e do sistema econômico”, afirmou o deputado. “A partir desse acúmulo, a bancada acumulou que não existe candidatura melhor para representar esse projeto do que a de Luiza Erundina”.

Para Erundina, essa não é apenas mais uma eleição da Câmara, mas sim uma eleição que exige respostas para a complexidade e as principais preocupações da sociedade em relação à política e ao parlamento brasileiro. “Há um descrédito generalizado com a política”, afirmou a candidata do PSOL.

A deputada disse, ainda, que a candidatura não é apenas um nome, mas sim compromisso político a partir da atuação da bancada no enfrentamento que já tem sido feito em relação às medidas do governo.

Questionada sobre a candidatura de André Figueiredo (PDT/CE), Erundina afirmou que o PSOL procurou as demais forças progressistas e de oposição na tentativa de construir compromissos políticos para além da candidatura, no sentido de formar um coletivo que se mantivesse identificado com pautas de forma permanente – mas, infelizmente, não foi possível.

A deputada citou a necessidade de pautar as reformas que a população necessita, como a política e a tributária. “Estamos identificados com os movimentos de trabalhadores que vêm perdendo direitos com as medidas do governo”.