Setorial de Mulheres do PSOL repudia agressões machistas do PCO no movimento estudantil!

16/04/2013 Mulheres

 

No último dia 11, durante uma assembléia de estudantes da USP, no campus Butantã, ativistas mulheres do DCE-Livre da USP foram agredidas por membros do PCO. Entre as agredidas, se encontra uma militante das nossas fileiras do PSOL, que estava na condução da assembléia. O soco na cara ocorreu após a leitura da carta de repúdio da frente feminista em relação às atitudes opressoras do PCO (Veja aqui: nota_repudio_frentefeminista). Além disso, um dos militantes do PCO derrubou e quebrou a caixa de som no chão, impossibilitando a continuidade do fórum. A cena que se viu foi abominável e inaceitável com um espaço que deve ser democrático, em todos os níveis, como é o movimento estudantil.

Desde a última assembleia ocorrida no dia 14 de março, um militante do PCO de São Paulo, André Sarmento, vem perseguindo e assediando moralmente a mesma companheira do PSOL, que esteve também na coordenação da mesa da assembleia. Quando esta companheira estava sozinha, o militante do PCO dizia frases como “da próxima vez, coloca um homem na mesa que garante melhor” e “não é porque você é mulher que eu não posso partir pra cima”. Militantes do PCO vinham se utilizando de métodos de coerção e assédio moral à militante, calúnias no site do partido em relação as mulheres do PSOL e do PSTU, chegando a afirmar que essas se prostituíam e que usavam da sedução para conseguir ganhar novos militantes, que é praticar a chamada “tática 2”. Ao escolher esse caminho, o PCO afeta todas as mulheres que participam cotidianamente das lutas nos movimentos, sindicatos e partidos.

Nós do setorial de mulheres repudiamos o caráter machista do PCO, expresso explicitamente pelos seus militantes e meios de comunicação, nos últimos acontecimentos e, que em diversos movimentos, não só na USP, usa de truculência e opressão para impor sua política. Não podemos nos confundir com esse perfil, que é diametralmente diferente do nosso.

Nos solidarizamos com a companheira do PSOL que sofreu agressão. Continuaremos na luta para que todos os espaços políticos sejam espaços livres de preconceitos e abertos ao protagonismo das mulheres. Lugar de mulher é na política!

Coletivo Nacional de Mulheres do PSOL,

13 de abril de 2013

SONY DSC